Notícias

Mais produtividade

O setor de transporte vem, ao longo dos anos, buscando novas soluções para antigos problemas, vislumbrando sempre um horizonte com menor custo, maior produtividade e processos mais seguros e sustentáveis. Ao seguir esses caminhos, o ITL e o SEST SENAT, por meio da Especialização em Gestão de Negócios, oferecem ferramentas para a construção de um novo setor de transporte para o país. 

Um desses exemplos já está sendo colocado em prática na região Norte. Um grupo de gestores do transporte da turma de Belém (PA) apresentou um projeto sobre a viabilidade de implantação de um floating crane (porto flutuante) como solução para a redução de custos no escoamento de grãos no corredor norte, na Amazônia.

Com previsão de US$ 15 milhões em investimentos até julho de 2019, o projeto nasceu da necessidade de evitar perdas no momento de descarregar as embarcações e levar o produto para os silos que ficam em terra, destaca Eduardo Lobato, um dos idealizadores do projeto. “As barcaças viraram os próprios silos. Com isso, evitamos uma perda de até 2,5% do que é transportado na hora de tirar de um lugar e colocar em outro. Ainda estamos em fase de construção de toda a logística, e nossa previsão é que a operação completa se inicie em janeiro de 2020. Mas já começamos a implantar em Santarém (PA), onde já foram transportadas 700 mil toneladas desde fevereiro”, conta ele.

Lobato também cita que, depois de implantado, o projeto vai permitir que uma empresa que operava cinco comboios com cinco empurradores, ao custo de R$ 35 milhões cada, retire dois empurradores. Assim, isso diminuirá em quase R$ 70 milhões o investimento e aumentará o número de viagens por ano e, consequentemente, o lucro. “Nossos custos de operação portuária são, em média, de 25% a 30% menores do que o tradicional no porto fixo. O projeto ainda vai ao encontro da necessidade da região, pois o licenciamento ambiental para esse tipo de estrutura é mais simples, uma vez que não utiliza áreas nas margens dos rios e não necessita de supressão vegetal”, explica ele.

O projeto, criado em sala de aula, está sendo executado pela Mega Logística Serviços Portuários para atender à solicitação de um cliente para exportação de grãos pelo Arco Norte. Por isso, além dos estudos técnicos, foi realizado um trabalho de regularização para obtenção de todas as licenças necessárias à operação, pois é a primeira vez que acontece um transbordo de grãos de barcaças para navios fundeados no Porto de Vila do Conde (PA). 

O diretor da empresa e também aluno do curso, Marco Antônio Cavalcante, destaca que o projeto já era estudado e que a especialização contribuiu para atualizar conceitos e prover mais embasamentos teórico e técnico a fim de melhorá-lo e enriquecê-lo ainda mais. “Tivemos ganhos expressivos devido à gama de informações e conhecimentos do corpo docente, que auxiliou consideravelmente na obtenção de fonte de dados e pesquisas para consolidar o projeto”. Na visão de Cavalcante, o curso tem proporcionado a troca de experiências e o desenvolvimento de soluções inovadoras para o setor de transporte. “Consegui ter a oportunidade de conhecer novas tecnologias junto a outras organizações nacionais e internacionais.”

O diretor-executivo do ITL, João Victor Mendes, ressalta que a Especialização em Gestão de Negócios vem cumprindo o seu papel de fomentar novas ferramentas para questões antigas do setor de transporte. “Nossos alunos estão criando, em sala de aula, soluções para problemas vivenciados no dia a dia das empresas. Já temos várias inovações produzidas e implantadas em todo o país”, destaca.

Para o orientador da turma e professor da FDC Paulo Renato, os desafios da criação do projeto em sala de aula trouxeram para ele o ganho de ter participado de um projeto inédito, com muitos stakeholders envolvidos em grandes investimentos. “Tive a oportunidade de participar como professor de uma equipe que domina amplamente o assunto. Quando há uma situação assim, o professor precisa se preparar muito para realmente gerar valor e contribuir para o desenvolvimento do projeto.”  Ele frisa ainda que alinhar a teoria e a prática é uma grande oportunidade para se ampliar o conhecimento adquirido. “A metodologia do projeto aplicativo foi desenvolvida buscando sempre encontrar uma solução para um problema real de pesquisa”, conclui.


Sobre o curso

A Especialização em Gestão de Negócios faz parte do Programa Avançado de Capacitação do Transporte, promovido pelo SEST SENAT e coordenado pelo ITL. O curso, ministrado pela FDC, tem como objetivo habilitar gestores e executivos de empresas de transporte e logística de todos os modais nas mais modernas técnicas de gestão de negócios. A especialização tem carga horária de 370 horas. Desde 2013, mais de 1.400 gestores de 500 empresas já participaram do programa.