Notícias

Sem medo de mudar

​A inovação vem sendo considerada um dos mais importantes ativos intelectuais do mundo. No Vale do Silício, localizado na Califórnia (EUA), um dos principais polos globais do assunto, mentes privilegiadas pensam em problemas sob diferentes óticas e apresentam soluções criativas para resolvê-los. Além disso, abraçam o novo sem medo e entendem erros como oportunidades. Buscando compreender os mecanismos da inovação e a melhor maneira de aplicá-los para solucionar os problemas do transporte brasileiro, uma comitiva de gestores do setor participou, em setembro, da Extensão Internacional Vale do Silício 2018, iniciativa promovida pela CNT, pelo SEST SENAT e pelo ITL e organizada pela HSM.

A extensão faz parte do projeto Inovação e Tecnologias Exponenciais para a Transformação do Setor de Transporte e incluiu, no roteiro, apresentações e visitas técnicas ao tradicional polo de tecnologia. Esse foi o quarto evento promovido pelo Sistema CNT junto com a HSM. Três outros encontros com a mesma temática já foram realizados, em São Paulo, e um último está previsto para ocorrer em novembro, também na capital paulista.

“Esses encontros são importantes para conectar os transportadores brasileiros com o que há de mais moderno e inovador no mundo. Mergulhar nessa combinação de conhecimento, capital financeiro e ousadia faz com que os gestores tenham uma compreensão mais ampla e precisa das mudanças exponenciais que a revolução tecnológica está provocando e promovam, assim, a modernização das empresas brasileiras”, acredita o presidente da CNT, Clésio Andrade.

Entre as iniciativas compartilhadas, destaca-se, por exemplo, a Mediar, empresa mineira atuante no Vale do Silício desde 2008 e desenvolvedora de uma plataforma que usa análise de dados e algoritmos para prover serviços de previsibilidade de vendas em varejo e incrementar os modelos de logística e distribuição conectados. Os gestores brasileiros também tiveram a oportunidade de aprender com o managing director da Flixbus, empresa que desenvolveu uma combinação de startup de tecnologia, plataforma de e-commerce e transporte sustentável.

Para a diretora-executiva nacional do SEST SENAT, Nicole Goulart, encontros como esse são uma oportunidade para pensar o futuro do transporte. “Nosso intuito, ao permitir que gestores do transporte participem de eventos desse porte, é proporcionar uma reflexão sobre o caminho que precisamos seguir para garantir o desenvolvimento do setor, em termos operacionais e gerenciais”, afirma ela.

Na visão do diretor-executivo da CNT, Bruno Batista, as discussões realizadas durante as visitas ao Vale do Silício revelam a necessidade de se criar um ambiente de inovação dentro das empresas e das organizações. “A inovação já está acontecendo agora. Não é um futuro distante. Precisamos estar atentos às transformações e proporcionar um ambiente favorável à busca de soluções alternativas e criativas para os antigos problemas que enfrentamos.”

O roteiro dos gestores incluiu ainda visitas a locais como Foxtrot Systems, empresa que trabalha com inteligência artificial na análise de diversas variáveis para otimizar rotas de entrega em tempo real; Geospago, que usa geolocalização para criar uma visibilidade única e integrada para diferentes processos de negócios; e outras empresas e organizações reconhecidas pela experiência em inovação como Tesla, Google, IBM e Singularity University ¬– referência mundial no assunto. “O setor de transporte brasileiro ainda tem um longo caminho a percorrer quando se trata de inovação. No entanto, as experiências vivenciadas nos mostram que seguimos na direção certa, alinhados com o que o mundo prepara e espera para o futuro próximo”, destaca o diretor-executivo do ITL, João Victor Mendes.