Notícias

Anuário CNT do Transporte chega à terceira edição

​​A série histórica com os principais dados disponíveis do setor de transporte chega à terceira edição e pode ser consultada no Anuário CNT do Transporte 2018, lançado na última segunda-feira (13) pela CNT (Confederação Nacional do Transporte). O documento está publicado na íntegra e contém mais de 800 tabelas que mostram a evolução de todos os modais do setor (rodoviário, ferroviário, aquaviário e aéreo), seja na área de cargas, seja na de passageiros. Todo o material disponível pode ser acessado no endereço: anuar​​iodotransporte.cnt.org.br​

Consolidado junto ao segmento de transporte como uma rica base de dados, o trabalho apresenta informações não somente aos transportadores, mas, também, ao poder público, à iniciativa privada, ao meio acadêmico e à sociedade em geral. “Os dados revelam a dimensão do setor, a diversidade da atuação dos transportadores e os gargalos que ainda precisam ser solucionados na infraestrutura nacional. Nesse sentido, o trabalho da CNT é essencial na medida em que pode balizar a elaboração de projetos e de políticas públicas relacionadas ao setor de transporte”, afirma o presidente da CNT, Clésio Andrade. 

Nesta edição, a série histórica permite observar alguns apontamentos no transporte rodoviário: enquanto a frota de veículos continua crescendo rapidamente (aumento de 63,6% entre 2009 e 2017), a malha rodoviária brasileira ainda padece de deficiências estruturais, que contribuem, por exemplo, para um índice crescente de mortes por acidentes de trânsito. Entre 2009 e 2017, a malha pavimentada cresceu somente 0,5%. Apenas no ano passado, foram registrados 6.243 óbitos em acidentes de trânsito nas rodovias federais brasileiras. Verifica-se, ainda, uma baixa qualidade da infraestrutura disponível, onde 61,8% da extensão avaliada pela Confederação tem algum tipo de problema, seja no pavimento, na sinalização ou na geometria da via.

Informações sobre os setores ferroviário, aquaviário e aéreo também fazem parte do Anuário lançado pela CNT. Estes segmentos vêm registrando sucessivas altas na movimentação de cargas no país, nos últimos anos. Em 2017, foram transportadas 538,8 milhões de toneladas úteis no sistema ferroviário brasileiro, 6,9% a mais do que no ano de 2016. Já a movimentação total nas instalações portuárias em 2017 (1,1 bilhão de toneladas) teve aumento de 8,5% em relação ao ano anterior, assim como a quantidade de carga transportada pelo setor aéreo em 2017 (1,24 milhão de toneladas), que foi 8,9% maior do que em 2016. 

Segundo Clésio Andrade, é certo que conhecer bem a evolução do transporte no Brasil favorece o planejamento e a definição mais adequada de projetos prioritários e de investimentos. “Com a compilação desses dados, a CNT cumpre sua missão institucional de contribuir para a promoção do desenvolvimento do setor e de aprimorar informações fundamentais ao seu planejamento sistêmico e integrado”, observa. 


Anuário CNT do Transporte 2018

O que é?

Trabalho desenvolvido pela CNT que consolida as estatísticas disponíveis no Brasil, a partir de dados e pesquisas da Confederação e de outras fontes, sobre todos os modais de transporte. As informações, organizadas em um único documento, proporcionam agilidade e eficiência nas consultas. A publicação possui mais de 800 tabelas.

Por que foi criado?

Para estruturar o acesso a informações sobre o transporte no Brasil e estimular estudos e ações que contribuam para a dinamização do transporte brasileiro. Uma análise mais aprofundada das estatísticas disponíveis possibilitará a identificação de mudanças no setor ao longo do tempo, seus avanços e desafios.

Por que é importante?

A publicação do Anuário, que chega à terceira edição, marca o resgate da cultura de difusão de dados, públicos e privados, do setor para o planejamento sistêmico do transporte nacional, preenchendo uma lacuna existente na divulgação das estatísticas relevantes sobre o tema.

Onde acessar?

O documento está disponível em versão digital, no site: anuariodotransporte.cnt.org.br​. Os dados são organizados pelos modais de transporte rodoviário, ferroviário, aquaviário e aeroviário. Para facilitar a consulta, as informações estão disponibilizadas em planilhas eletrônicas.

Evie Gonçalves
Agência CNT de Notícias